Notícias

Cem anos de rádio no Brasil: Tecnologia impacta positivamente no rádio

Categoria:

Uni7 Informa

0

O rádio sempre esteve presente na vida dos brasileiros, e hoje é ouvido cerca de 80% da população.

(Foto retirada do Google)

Em 7 de setembro de 2022 comemorou-se o Centenário do Rádio no Brasil. A data foi celebrada no Rio de Janeiro e contou com a participação de mais de 20 chefes de Estado. Para comemorar a data, foi aberta, no Museu da Imagem e do Som, na Lapa, uma exposição que utiliza fotos, áudios e vídeos e exploram a história do rádio no Brasil. A exposição é gratuita e está aberta para visitação pública. 

O Museu lançou um gênero pioneiro de modelo audiovisual, e é conhecido por ter o maior acervo público de rádio e música do Brasil. A visitação dura cerca de 30 minutos e faz um percurso pelas letras da história radiofônica. A caracterização da exposição remonta épocas antigas do Rádio e conta uma história de sonhos e realizações, fortalecendo um dos dos maiores meios de comunicação de massa do mundo.

De acordo com a Associação Brasileira de Rádio e Televisão, Abratel, o consumo de rádio cresceu 186% entre os anos de 2019 e 2022, e 26% desse público é caracterizado como ouvinte da rádio online. Com o avanço da tecnologia expandiu-se o formato do rádio online e a produção de podcasts, que se trata de conteúdo em áudio, disponibilizado através de um arquivo ou streaming, contando com a vantagem de ser escutado sob demanda, quando o usuário desejar.

A professora, especialista em rádio, e mestra em comunicação social, Kátia Patrocínio, quando questionada a respeito da sua relação pessoal com o rádio, diz que a paixão “só vem aumentando”. E apesar de, hoje, estudar outras formas de comunicação, como os populares podcasts, Kátia exalta a necessidade de lembrar que “tudo que a gente tem sobre áudio é original do rádio. Por isso, ele continua sendo o meio mais festejado, ocupando um espaço promissor dentro das tecnologias”.

Mesmo com a chegada da internet, o rádio continua sendo o meio mais barato e mais instantâneo. Em situações de catástrofes naturais, desastres e situações de socorro. A professora pontua sobre a instantaneidade do rádio “As pessoas acham que a internet é o meio mais rápido, mas não é, o rádio ao divulgar uma notícia, ela de imediato ele vai ao ar”. 

O rádio tem a singularidade de afetar intimamente os ouvintes, marcando momentos através de belas trilhas sonoras. Kátia Patrocínio fala sobre a sensação de surpresa que o rádio causa nas pessoas “Eu estou ouvindo uma música, mas eu não sei qual é a música que vem a seguir, e dependendo do programa pode ser uma música que eu gostava, e há muito tempo eu não escutava. Então eu gosto disso, esse outro elemento que o rádio tem que é a surpresa”. 

A entrevista completa com a professora, especialista em rádio e mestra em comunicação social, Kátia Patrocínio, você ouve no endereço:

(Foto por: Kátia Patrocínio)

Foto: Gabriela Erotilde (Jornalismo / UNI7)

Tags: , , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + vinte =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.