Notícias

SEMANA ABRE: Dragão chafurda o coro dos contentes com revista de invenção

Categoria:

Uni7 Informa

0

Jornalista e diretora de Conteúdo e Mídias do Instituto Dragão do Mar, Isabel Andrade traça linha do tempo desde a produção de conteúdo, da convergência ao conhecimento nas ações culturais de bens simbólicos

Durante a palestra, Isabel Andrade, apresentou a Revista Dragão do Mar e explicou o esforço do Instituto em conquistar o público

Em diálogo com o mercado, a Semana Abre dos cursos de Comunicação do Centro Universitário 7 de Setembro (UNI7) deu espaço na última quarta-feira, 6, para o relato sobre a trajetória inovadora do Instituto Dragão do Mar (IDM), a primeiro Organização Social (OS) Cultural do país. E para contar este percurso, Isabel Andrade, jornalista e diretora de Conteúdo e Mídias do IDM, percorreu os conceitos de Ramón Salaverria, David Domingo e Rich Gordon, com a inquietação da produção de conteúdo. Concluiu o circuito com a apresentação da Revista Dragão do Mar, que chega à quinta edição em 2019.

A primeira semana de aula amplia, assim, as oportunidades para alunos e professores, na perspectiva de uma filosofia de integração das atividades no âmbito da instituição. Isabel apresenta um breve histórico da produção cultural, da dificuldade de acesso a jornal impresso e enfatiza o esforço do IDM em conquistar o público utilizando-se da inclusão cultural e dos valores da diretoria de conteúdo e mídias, criada em março de 2017: criatividade, autonomia e responsabilidade.

Com a missão de “manter e expandir os canais de comunicação entre o IDM e seus públicos”, a diretoria tem como objetivo geral “orientar a política de comunicação do IDM, garantindo o amplo acesso às informações relativas aos programas da instituição”. Em seguida, ressaltou as parcerias nacionais com o Instituto Moreira Sales (IMS) e Itaú Cultural, de São Paulo, e as ações de intercâmbio Chile-Brasil, com a primeira cooperação internacional com o país andino, representado pela cidade de Valparaíso. Iniciativas que têm como pano de fundo, a promoção da visibilidade e circulação de produtos culturais do Ceará.

Outro ponto destacado por Isabel foi a atuação do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, ao apresentar o cronograma de comunicação. Citou as diferentes assessorias, a comunicação digital, as redes sociais, a fotografia e, particularmente, deu ênfase ao design gráfico. Neste momento da palestra fez questão de elogiar a atuação destes profissionais, com alguns deles na plateia da sala 520, local dos encontros da Semana Abre.

O IDM criou plataformas visando à promoção de parcerias com órgãos do Estado, como a Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo (Seas). O aluno George Braga, assessor técnico e fotógrafo do Sistema, presente na sala, lembrou que em 2018 foi assinado um termo de cooperação técnica, com a perspectiva de apoio e viabilidade de atividades culturais e artísticas junto aos adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa nas Unidades de Atendimento do Estado do Ceará, com a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), a quem o IDM é vinculado.

Na parte final da apresentação, Isabel destacou outras ações do Instituto. O primeiro, o Porto Dragão Sessions – uma série de televisão com oito episódios que traz um panorama da nova cena musical do Ceará (o novo pessoal do Ceará) -, apresentado pelos artistas cearenses Gero Camilo, Daniel Peixoto e Karine Carvalho, com direção do cineasta Pedro Diógenes. Terá exibição no canal Music Box, a partir de março deste ano.

Isabela frisou parcerias com instituições nacionais e internacionais que possibilitam e dão maior visibilidade à cultura cearense

E o segundo, ressaltou a importância das campanhas do Maloca (festival), quando o ator Jesuíta Barbosa – atualmente no elenco da novela ‘Verão 90’, da TV Glovo- foi contratado como garoto propaganda da edição 2018. E a campanha ‘Bárbaras, mulheres do Ceará’, também no ano passado. Foi uma maneira de homenagear mulheres que marcaram a história do Ceará e continuam a ser lembradas como referência em diferentes campos da cultura, dos movimentos sociais, da política e das artes cearenses.

Revista Dragão do Mar

Como ponto de parte para um novo projeto do IDM, Isabel lembrou-se da máxima: “preciso criar audiência para ter público”. Era por aí caminho rumo à Revista Dragão do Mar que, segundo o sociólogo Paulo Linhares, presidente do IDM, no editorial da edição de número 1, a publicação chegava “numa fase de amadurecimento da instituição como centro de pensamento de uma série de novas politicas e estratégias de economia e da sociedade cearense”.

Para a realização do sonho, avaliaram a hipersegmentação e a viabilidade de uma revista impressa – ‘quando tudo hoje é online, vamos de impresso”, lembrou a diretora. E a fonte de inspiração foi o conceito de “revistas de invenção”, contido no livro de Sergio Cohn, “Revistas de invenção: 100 revistas de cultura do modernismo ao século XXI” (Ed. Beco do Azogue). São aquelas publicações que discutem o panorama cultural do Brasil.

A exemplo de outras publicações contidas no livro de Cohn, mencionadas por Isabel na apresentação, a Revista Dragão do Mar encorpou e tornou-se realidade. Está na 5ª edição, com tiragem de 2 mil exemplares, 100 páginas, duas cores, periodicidade semestral, com preço de capa a R$ 5,00.

Tem distribuição dirigida para mais de 50 instituições e pode ser comprada na Livraria Arte e Ciência e no Centro Dragão do Mar. Quem estiver em São Paulo, pode comprar a revista no Instituto Moreira Sales, na Avenida Paulista.
“O design da revista é inovador, e tem um formato de fácil leitura. É diagramada no Rio de Janeiro e impressa na gráfica Santa Marta, em João Pessoa – PB”, disse Isabel. No conteúdo, reportagens, ensaios, ficção, perfil, ensaio, entrevistas, poetas urbanos e crônicas pelo mundo. Ao concluir, a diretora do IDM revelou que a revista ganhou um prêmio de comunicação editorial no ano passado.

SERVIÇO

Instituto Dragão do Mar
Antes Instituto de Arte e Cultura do Ceará (IACC), o Instituto Dragão do Mar foi a primeira Organização Social (OS) criada no Brasil na área da Cultura. Vinculado à Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, o Instituto Dragão do Mar é atualmente responsável por gerenciar oito equipamentos culturais no Estado. São eles: o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, a Escola Porto Iracema das Artes, o Centro Cultural Bom Jardim, a Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu Sobrinho, o Cineteatro São Luiz e o Theatro José de Alencar, em Fortaleza; e ainda Memorial Cego Aderaldo, em Quixadá, e Vila da Música, no Crato.

Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
Rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema
Fortaleza – CE
Informações: (85) 3488.8600/ 3488.8608
http://www.dragaodomar.org.br/

FOTOS: Deisa Rocha (6º semestre – Jornalismo/UNI7)

Tags: , , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *