Notícias

ECONOMIA: Novo limite do financiamento de imóveis vai viabilizar mais compras

Categoria:

Uni7 Informa

0

Apesar da atual crise econômica que o país enfrenta, o mercado imobiliário abre as portas para os compradores que buscam no momento certo uma brecha oportuna para o investimento

Com a antecipação da data de lançamento do novo limite para financiamento de imóveis, o Conselho Monetário Nacional (CMN) anunciou no dia 29 de outubro, a mudança que só aconteceria em 1º de janeiro de 2019. A partir do dia 30 de outubro, o limite para fins de contratação de financiamentos habitacionais no âmbito do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) passou a ser de R$ 1,5 milhão. No início do ano, o limite era de R$ 950 mil para quatro unidades da Federação e R$ 750 mil no restante do país.

“O momento agora é de comprar para ganhar dinheiro mais tarde”
Armando Campos Filho, 60

Em nota à imprensa, o CMN justificou a antecipação da vigência que foi alterada por meio da Resolução nº 4.676 no final de julho deste ano. “Diante do fato de o novo valor não implicar na necessidade de ajustes substanciais nos sistemas internos das instituições financeiras, diferentemente das demais alterações introduzidas pela referida resolução, decidiu o CMN antecipar sua vigência, que passa a ser imediata”.

A mudança oferece juros menores que a taxa de mercado do país e a vantagem da utilização dos recursos depositados na conta vinculada do FGTS. A partir de 2019 não haverá mais obrigatoriedade de aplicação de recursos pelas condições do SFH. Os bancos e mutuários poderão pactuar as taxas de juros. Também não haverá limite para o valor do financiamento nos negócios cujo dinheiro do FGTS não esteja envolvido.

Para o vice-presidente administrativo do Sindicato da Habitação no Ceará – Secovi-CE, Salim Ivan Ary, a mudança proposta pelo governo é assertiva, “qualquer força que venha do governo é boa, porque mais rápido volta o movimento do mercado. Tudo o que vier de positivo de valores, financiamentos, facilidades do governo e bancos privados é bem-vindo para juntar forças para o mercado”, analisa.

Vice-presidente do Sindicato de Habitação no Ceará (Secovi-CE), Salim Ivan Ary

Trabalhando no mercado imobiliário há 33 anos, Salim admite que o momento é de crise, porém, tem um olhar confiante em relação às transformações que estão ocorrendo no mercado. “Tudo o que está no Brasil mudou, teremos que aprender um novo país, e o mercado está dentro dele, com novas abordagens de vendas”, afirma. Por isso, o sindicato tem realizado reuniões semanais com as empresas do Estado, a fim de buscar soluções paro mercado que vem se transformando nos últimos anos.

“Fortaleza é um canteiro de obras” diz Salim, referindo-se às construções que continuam sendo realizadas na capital cearense. Para ele, o mercado está em expansão, e a crise nada mais é do que uma oportunidade para criação de novas estratégias a fim de efetivar o crescimento das vendas. Desde 2016, o mercado imobiliário em Fortaleza tem faturado aproximadamente R$ 1,5 bilhão por semestre. Um crescimento equivalente a mais ou menos 8% ao ano, segundo o vice-presidente do Secovi-CE.

Diante da atual conjuntura que o mercado apresenta, o momento é oportuno para quem deseja investir. “Tá na hora de comprar e não na hora de vender”, explica Salim. “Quem comprar imóveis agora terá um ótimo retorno daqui a 1 ou 2 anos, quando o mercado estourar”, acrescenta.

“Quem comprar imóveis agora terá um ótimo retorno daqui a 1 ou 2 anos” Salim Ivan Ary, 50

Corretor há 13 anos na cidade, Armando Campos Filho compartilha do mesmo pensamento. “Vender só no último caso, o momento agora é de comprar para ganhar dinheiro mais tarde”, afirma. Trabalhando diariamente na área, ele percebe que o mercado está retraído, com estoque de terrenos pelas construtoras que mantêm um ritmo lento nas obras. Por isso, é tão comum a oferta de bônus e premiações aos compradores, a fim de estimular as vendas. Algumas construtoras oferecem, na compra de um único imóvel, iphones, 5 anos de condomínio pago, documentação registrada por conta da empresa, móveis planejados na cozinha, entre outros bônus e premiações.

Mas, segundo Armando, o que se observa no mercado é que cada vez mais, o comprador está em busca de facilidades para o financiamento. Nesse sentido, a nova proposta de limite para financiamentos contratados dentro do SFH, lançada no final de outubro, será uma mola propulsora para as vendas. “97% das vendas são financiadas por bancos, sendo que a maioria é feita pela Caixa Econômica Federal”, explica.

Taxa de juros menores e utilização do FGTS trazem esperança para o mercado em Fortaleza

Outro lado da moeda é marcado por tensão e espera
Se a hora é interessante para os investidores, quem está querendo vender depara-se com as dificuldades geradas pela crise econômica em todo o país. Não está tão fácil negociar um imóvel. Alguns deles chegam a ficar meses com anúncios de vendas, isso porque o comprador comum nem sempre dispõe da quantia necessária, além de muitas vezes ter que repassar o financiamento por não conseguir honrar com as prestações.

A fotógrafa Juliana Vale, 28, está há 10 meses tentando vender uma casa plana, de dois quartos, suíte e banheiro reversível, sala, cozinha, quintal e garagem para dois carros, no bairro da Messejana, em Fortaleza. Para ela, “o mercado imobiliário está em crise, juntamente com nosso país, então há uma grande oferta diante de uma menor procura. As pessoas optam por casas novas, que custam praticamente o que seria uma casa seminova”, reconhece.

Juliana continua tentando vender sua casa, que foi comprada por financiamento e ainda não está quitada. Mesmo disposta a baixar o valor de oferta, encontra dificuldade em passar adiante o imóvel. Sua intenção é investir o dinheiro que vai obter com a venda da casa na compra de um terreno para construir mais tarde.

                 Teto de Financiamento de Imóveis pelo SFH
Nov. 2016 R$ 950 mil (DF, MG, RJ e SP); R$ 800 mil para o resto do país
Fev. 2017 R$ 1,5 milhão para todas as regiões do Brasil
Jan. 2018 R$ 950 mil (DF, MG, RJ e SP); R$ 750 mil para o resto do país
Out. 2018 R$ 1,5 milhão – teto unificado

Fonte: Agência Brasil – 30/10/2018

Serviço:
Sindicato da Habitação no Ceará – Secovi-CE
Endereço: Rua Tenente Benévolo, 1369 – Meireles, Fortaleza – CE, 60160-041
Horário de Funcionamento: Seg. à Sex. – 8h às 18h
Telefone: (85) 3036-9500
Site: secovi-ce.com.br

Texto e Fotos: Iara Fontes (6° semestre – Jornalismo/UNI7)

Tags: , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *