Notícias

REDES SOCIAIS: Para 2014, profissionais apostam no Facebook e no Instagram

0

Em bate-papo promovido pelo Grupo Escola de Comunicação em parceria com a Fa7, os publicitários Mariana Marques e Deoclécio Castro falaram na noite de ontem, 27 de março, sobre o mercado de trabalho em ambientes virtuais

O mercado da comunicação está crescendo e alcançando novos consumidores. Hoje, grande parte de sua influência concentra-se na nuvem. Em outras palavras, na internet.

Para Mariana Marques, falta profissional comprometido no mercado (Foto: Jarlesson Vanley)

Para Mariana Marques, falta profissional comprometido no mercado (Foto: Jarlesson Vanley)

Para os publicitários e social media Mariana Marques e Deoclécio Castro, ambos especialistas em geração de conteúdo para a web, as ferramentas indispensáveis para boa comunicação na rede, seja esta pessoal ou corporativa, são as redes sociais, como o Facebook e o Instagram. “Hoje, a rede social é crucial para um negócio”, destaca Mariana, que, inclusive, possui uma conta pessoal bem movimentada sobre vida saudável no Instagram, a @deustavendo.

Não só para um negócio, as redes sociais têm se mostrado fator de potencialização da comunicação de organizações não governamentais ou até mesmo públicas, como as páginas do Governo do Estado, monitoradas por Deoclécio Castro. Segundo o profissional, o desafio do monitoramento é diário, tendo em vista que, para ele, instituições como o Governo não se encaixam no conteúdo proposto pelas redes sociais. “Quem está no Facebook, está lá para se divertir”, afirma o social media. Para ele, o desafio é transformar um conteúdo burocrático e sisudo, em algo atrativo para o público.

Essa dificuldade parece não ser a mais incômoda no cotidiano profissional de Mariana Marques, que costuma lidar com empresas que desejam se inserir no mercado e apostam em uma comunicação barata e eficiente. “A gente não quer só vender o produto. A gente quer que uma marca seja querida”, explica a publicitária.

Atendimento 24 horas

Diferente da atuação de outros profissionais da área da comunicação, os geradores de conteúdo para web não costumam “se desconectar”, como brinca Deoclécio Castro . Ele se lembrou da acelerada rotina de trabalho na Casa Civil, no dia em que o apresentador global Serginho Groisman esteve no Ceará para gravação de uma edição especial do programa Altas Horas.

De acordo com o publicitário, o programa objetivava valorizar pontos turísticos do Estado, circunstância que foi aproveitada pelos profissionais da comunicação do Governo. “Nós já tínhamos uma série de conteúdos prontos”, explica Deoclécio. Conteúdos que, segundo o social media, buscavam se relacionar às temáticas de caráter regional abordadas no decorrer do programa, como o turismo e a culinária cearense.

A publicitária Mariana Marques também reforça o nível de comprometimento do profissional no atendimento ao cliente. “Não dá pra dormir, mesmo. Você não vai trabalhar em horário comercial como todo mundo trabalha. Horário flexível é a maior desgraça. Você acaba trabalhando mais do que alguém que tem horário fixo”. Para a social media, entretanto, o mercado é expansivo, dinâmico e tende a qualificar-se mais ainda em 2014, o que acarreta em um momento ímpar de oportunidade aos estudantes de comunicação.

 

Responsável pelas redes sociais do Governo do Estado, Deoclécio Castro acredita que o Governo não se encaixa na proposta das redes sociais (Foto: Jarlesson Vanley)

Responsável pelas redes sociais do Governo do Estado, Deoclécio Castro acredita que o Governo não se encaixa na proposta das redes sociais (Foto: Jarlesson Vanley)

“Gosto da área, mas acho que não tenho perfil pra trabalhar com redes sociais…”

Bobeira. A não ser, é claro, que você não seja responsável.

Para Mariana e Deoclécio, a maior dificuldade em contratar estagiários e profissionais para trabalhar com redes sociais não está no perfil deles, e sim, no comprometimento com a empresa e em sua responsabilidade com o trabalho.

“Você contrata uma pessoa e vê que na primeira dificuldade ela some, foge, se desliga. Hoje, não tem mais desculpa. É claro que, se você estiver com uma doença grave, vai soltar o celular. Mas se for uma gripe ou uma virose, você pode ficar deitado e dar um jeito de ajudar”, conta Mariana Marques.

“Não é exagero dizer que você vai ficar 24 horas conectado. Na hora em que alguém interage no Facebook, o seu celular vai apitar”, complementa Deoclécio Castro. E revela uma dica aos estudantes: “A característica fundamental pra quem quer trabalhar com tecnologia da informação é ser curioso. Ser criativo”.

Nova matriz curricular adapta-se ao mercado

Como forma de subsidiar os estudantes de Comunicação Social da Faculdade 7 de Setembro (Fa7) para a boa atuação no mercado de trabalho atual, o coordenador Dilson Alexandre destaca a mudança das matrizes curriculares das graduações em Jornalismo e Publicidade e Propaganda, que agora valoriza diferentes projetos integrados à web.

“Pregamos uma base de conhecimento sólida e teórica sobre o mundo contemporâneo, independentemente de qual seja a mídia social do momento”, ressalta o coordenador.

Tags: , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + 17 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.