Notícias

DEPOIMENTOS: Demitri Túlio conta histórias de vida pessoal e de reporteiro do cotidiano

0

O jornalista foi o primeiro personagem da série “Depoimentos”, que apresenta ex-professores e ex-alunos de Comunicação Social da Fa7, atuantes no mercado de trabalho

Para estrear a série “Depoimentos” – iniciativa alusiva à comemoração dos 10 anos do curso de Comunicação Social da Faculdade 7 de Setembro (Fa7) – o convidado foi o jornalista Demitri Túlio, conhecido, nacionalmente, como um dos repórteres mais premiados do Nordeste. O profissional, que trabalha no jornal O Povo, participou de entrevista gravada no estúdio de TV da faculdade, na noite de terça-feira, 18 de fevereiro. Na oportunidade, Demitri relembrou momentos que antecederam o início dos seus estudos no curso de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará (UFC) e esclareceu questionamentos sobre a composição de reportagens investigativas e especiais.

Em estreia da série “Depoimentos”, o jornalista Demitri Túlio revela que a reportagem especial “Expedição Cocó”, publicada no jornal O Povo, será transformada em documentário. (Foto: Lucas Leite)

Em estreia da série “Depoimentos”, o jornalista Demitri Túlio revela que a reportagem especial “Expedição Cocó”, publicada no jornal O Povo, será transformada em documentário. (Foto: Lucas Leite)

O histórico da vida pessoal de Demitri foi o ponto forte da noite. Após ter passado por experiências como vendedor de porta em porta e balconista de farmácia, o profissional surpreendeu ao falar sobre o longo período em que atuou como policial militar. Segundo ele, todas estas experiências, em conjunto, colaboram para a atividade jornalística que exerce atualmente. “Tudo isso influencia”, pontua Demitri.

Fato que comprova essa afirmação é a própria rotina de uma redação de jornal. Todas as reportagens, sejam especiais ou não, requerem apuração de dados e investigação aprofundada, como explica Demitri, ao ser questionado sobre a diferença entre uma reportagem considerada normal e outra de cunho investigativo. “Jornalismo investigativo nada mais é do que jornalismo de verificação”, ressalta.

Ele esclarece que a diferença notada pelos estudantes, entretanto, está relacionada às reportagens especiais. Estas, segundo o repórter, geralmente demandam mais tempo de apuração e uma quantidade consideravelmente maior de fontes a serem ouvidas. Para ilustrar o caso, ele citou os exemplos do mensalão e do especial “Expedição Cocó: mil dias na floresta”, seu mais recente projeto premiado, que, inclusive, será transformado em documentário, produzido a partir das fotos capturadas pelo jornalista durante a produção do especial.

O quarto poder

De acordo com o jornalista, a imprensa possui, de fato, forte influência no cotidiano de uma sociedade. No entanto, como alguns podem acreditar, seu poder não é soberano. Exemplo citado por Demitri é a atitude que o governo toma diante de uma nota negativa sobre sua gestão publicada em um jornal. “O governo não precisa de uma notinha para fazer o que tem que fazer”, destaca o repórter.

Para ele, a mídia funciona como forma de pressão por parte da sociedade civil, mas não como uma forma de salvar o mundo. “Às vezes, a vaidade do jornalista se sobressai”, comenta. Outra frase dita por Demitri, ao falar sobre os riscos da profissão jornalística, complementa esse pensamento: “Muitas vezes a gente se acha muito herói”.

Percepções

“A presença do Demitri neste bate-papo com os estudantes de Jornalismo da Fa7 é mais do que oportuna. Pela experiência que tem, como repórter de apuração e investigação em reportagem especial no jornal O Povo, ele consegue dialogar com os estudantes sem meias palavras, mas com objetividade e perspectiva para a profissão. O Demitri revelou detalhes do dia a dia de um repórter que, juntamente com uma equipe de profissionais de muita vivência, consegue ir além da superficialidade. Uma rica oportunidade para os estudantes e professores nos 10 anos de Comunicação da Fa7.”

Miguel Macedo, professor de Jornalismo da Fa7

Renomado jornalista cearense, Demitri Túlio conversou com estudantes da Fa7 sobre experiências que contribuem para o sucesso da profissão. (Foto: Lucas Leite)

Renomado jornalista cearense, Demitri Túlio conversou com estudantes da Fa7 sobre experiências que contribuem para o sucesso da profissão. (Foto: Lucas Leite)

“Gosto dos textos do Demitri desde que comecei a ler jornais com frequência. Ter a oportunidade de ouvi-lo falando de suas experiências é algo tão raro que nós, jornalistas em formação, temos que prestigiar. A reportagem especial sobre o Cocó, publicada em 2012, marcou minha memória. Além disso, a simplicidade e a humildade desse grande profissional encantam e inspiram aqueles que estão quase concluindo a graduação deste curso tão desafiador. A iniciativa da faculdade é excelente. Espero que outros grandes profissionais possam vir à instituição e passar um pouco de suas experiências para nós, estudantes.”

Lyvia Rocha, estudante de Jornalismo da Fa7

“Não conhecia Demitri Túlio pessoalmente, apenas algumas de suas matérias, as fotografias do Cocó… mas as referências de professores e colegas de trabalho já apontavam o grande homem e profissional que ele é. Um espelho para um trabalho mais aprofundado em termos de jornalismo e que renovou minhas forças. (A palestra) Aumentou o desejo de me aprofundar no jornalismo de Demitri em meu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).”

Jackson Pereira, estudante de Jornalismo da Fa7

“Conheci o Demitri em setembro de 2011. O Jornal O Povo estava selecionando estagiário para um novo projeto e me inscrevi. Na etapa de entrevista, quem conversou comigo? Demitri Túlio. Um jornalista que eu já admirava pelos textos da coluna ‘Das antigas’, pelas matérias no jornal, e que passei a admirar ainda mais depois que passei a conviver com ele quase que diariamente. O Demitri fez questão de me orientar lá no O Povo. Ele não tinha obrigação de fazê-lo, mas demonstrava se importar, tanto enquanto pessoa como jornalista. Sabia que era importante que eu entendesse o que escrevia, soubesse do peso das palavras, do modo como eram utilizadas. Sempre que me via pela redação, perguntava se eu estava gostando, dava sugestões, fazia críticas construtivas sempre que possível e necessário. Como cresci com os conselhos do Demitri! É um jornalista de visão macro sobre de um tudo! Não é à toa que é o jornalista mais premiado do Nordeste e tem reconhecimento nacional: relata os temas mais delicados com sensibilidade única. Apura, investiga, denuncia… tudo com muita ética, responsabilidade, pois sabe a força da profissão que exerce, da paixão que vive.”

Jefferson Privino, estudante de Jornalismo da Fa7

Tags: , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − três =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.